"Não sei se a vida é curta ou longa demais para nós. Mas sei que nada do que vivemos tem sentido se não tocarmos o coração das pessoas." Cora Coralina

segunda-feira, 8 de abril de 2013

CAMPANHA CONTRA A GRIPE

CAMPANHA CONTRA A GRIPE - COMPARTILHE ESSA IDEIA

 
 A Prefeitura do Rio, por meio da Coordenação do Programa de Imunização, lança a CAMPANHA CONTRA A GRIPE
 
COMPARTILHE ESSA IDEIA, que consiste em disponibilizar no facebook tags com informações e curiosidades sobre a vacina e prevenção da doença.
 
Internautas ligados no  perfil na internet e que curtem a fanpage terão acesso ao material disponibilizado diariamente. 

Colabore, Curta, Compartilhe!

domingo, 7 de abril de 2013

DIA DO JORNALISTA - 7 DE ABRIL


EDUCAÇÃO BÁSICA OBRIGATÓRIA A PARTIR DOS 4 ANOS

A educação básica tornou-se obrigatória a partir dos 4 anos de idade Foto: Getty Images 
A educação básica tornou-se obrigatória a partir dos 4 anos de idade Foto: Getty Images

Nova lei obriga matrícula de crianças a partir dos 4 anos na escola

A lei altera as diretrizes e bases do ensino no Brasil, tornando obrigatória a educação básica entre os 4 e os 17 anos de idade

 A presidente Dilma Rousseff sancionou lei que determina mudanças nas diretrizes e bases do ensino (LDB), de 1996, ao determinar que a educação básica é obrigatória dos 4 aos 17 anos. Com isso, os pais precisarão matricular mais cedo seus filhos na escola. Antes, a idade mínima de ingresso era de 6 anos.

De acordo com a lei publicada na edição desta sexta-feira do Diário Oficial da União, a educação básica fica organizada em três etapas: pré-escola, ensino fundamental e ensino médio. Antes, apenas o fundamental e o médio eram etapas obrigatórias. Segundo a lei, a educação infantil gratuita será disponibilizada para crianças entre 4 e 5 anos.

O Ministério da Educação (MEC) informou que foi feita uma "atualização" na LDB, reunindo as emendas aprovadas desde então. Em 2009, a emenda constitucional 59 tornou obrigatório ao governo oferecer a educação básica dos 7 aos 14 anos de idade. No entanto, a União, os Estados e os municípios têm até 2016 para se adaptar às mudanças.

A carga horária mínima para a pré-escola será de 800 horas anuais, distribuída por um mínimo de 200 dias de trabalho educacional, sendo que as crianças devem permanecer na escola por no mínimo quatro horas diárias, ou sete horas no caso de turno integral. A frequência mínima exigida será de 60% do total de horas anuais.

"A educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança de até 5 anos, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade", diz a lei. O currículo deverá ter uma base nacional comum que respeita as diversidades de cada região, o que já era válido para o ensino fundamental e o ensino médio.

Alunos com deficiência

A portaria ainda traz uma alteração em relação a um termo até então empregado pelo Ministério da Educação (MEC). A partir de agora, não será mais usada a expressão educação especial, e sim atendimento especializado a educandos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação. 
A lei ainda garante o incentivo para a formação de professores em licenciatura plena. "A União, o Distrito Federal, os Estados e os municípios adotarão mecanismos facilitadores de acesso e permanência em cursos de formação de docentes em nível superior para atuar na educação básica pública", diz a lei.

DIA MUNDIAL DA SAUDE


quarta-feira, 3 de abril de 2013

POSTAGEM NO SITE DO RIO EDUCA

Terça-feira, 02/04/2013

Professora da Classe Hospitalar Recebe Prêmio em Concurso de Fotografias

Tags: 2ªcre, saúde.

A professora Karla Bastos, regente da Classe Hospitalar Fernandes Figueira, participou de um concurso de fotografias na Fiocruz e foi premiada com o terceiro lugar.


A Classe Hospitalar Fernandes Figueira está vinculada à Escola Municipal Vital Brasil, no Catete.

No final de 2012, a Fiocruz convidou seus funcionários a participarem da terceira edição do concurso fotográfico. O título do concurso foi “Olhares sobre a Fiocruz”.

A partir do tema “Olhares sobre o Trabalho: Memória e Presente”, houve muitos inscritos e dentre eles a professora Karla Bastos. A intenção do tema era reunir imagens que refletissem as inúmeras atividades realizadas pelas equipes da instituição, dentro e fora do campus, ora de forma poética, ora de forma lúdica. As fotografias apresentadas buscavam mostrar a diversidade do dia a dia de um trabalho que reflete a mediação entre saúde e tecnologia.

 

Foto premiada no concurso da Fiocruz.
A professora Karla contou ao portal Rioeduca um pouco sobre sua participação no concurso de fotografias e também sobre o projeto didático que será desenvolvido ao longo de 2013 com os alunos da Classe Hospitalar Fernandes Figueira.
Portal Rioeduca: Por que desejou participar do concurso de fotografias?
Karla Bastos: Minha intenção foi divulgar o trabalho da Classe Hospitalar para a Fiocruz.
Nós somos do Instituto Fernandes Figueira, um anexo da Fiocruz. Para mim era uma oportunidade, ao menos, de divulgar nosso trabalho.

Portal Rioeduca: Como se sentiu ao saber que tirou 3º lugar?

Karla Bastos: Uma sensação indescritível. Avisaram sobre o 3° lugar e imediatamente abriu minha fotografia em um telão enorme.
Não imaginava! Estava concorrendo com fotógrafos profissionais, com servidores da Fiocruz de todo Brasil. Foi maravilhoso!
Minha fotografia, meu trabalho está no calendário oficial da Fiocruz que foi distribuído para os servidores do Brasil todo. Uma grande felicidade!

Portal Rioeduca: Conte-nos sobre o projeto Vinicius de Moraes. Quais seus objetivos? Como será desenvolvido?

Karla Bastos: O objetivo principal deste projeto é oportunizar aos alunos o acesso ao universo literário de Vinícius de Moraes, aproveitando o centenário do autor, mobilizado pela poesia e pela música. Levando-os a constituírem uma relação diferenciada, até mesmo nova, com a linguagem literária, visando também o exercício e a formação de leitores e produtores de textos competentes.
O projeto será desenvolvido durante o ano letivo, envolvendo todas as crianças atendidas pela Classe Hospitalar. Trabalhando identidade e autonomia, linguagem oral e escrita, linguagem musical, corporal, natureza e sociedade, arte e matemática, sempre tendo como base os textos de Vinícius de Moraes.
Aluna da Educação Infantil com a professora Karla fazendo atividade sobre a música "O pato".
Professora Ana Lucia Cunha com sua aluna trabalhando a musica "O pato" de Vinícius de Moraes.
Aluna Estefani e a profesora Karla Bastos.
Aluna da Educação Infantil explorando e conhecendo as características externas do instrumento musical e o som que ele produz.
A cerimônia de premiação do concurso de fotografias aconteceu no dia 4 de março. Parabéns à professora Karla Bastos pela iniciativa de divulgar o trabalho da Classe Hospitalar e pela conquista do terceiro lugar no concurso!
Professora Karla Bastos na exposição de fotografias. Ao fundo, a foto premiada.
Saiba mais sobre a Classe Hospitalar Fernandes Figueira na matéria Conhecendo a Classe Hospitalar Fernandes Figueira
Visite também o blog!
Informações consultadas também no portal da Fiocruz.
Gostou desta publicação? Deixe um comentário e clique em curtir para compartilhá-la com seus amigos no Facebook.
Renata Carvalho – Professora da Rede e representante da 2ªCRE, no portal Rioeduca
Email: renata.carvalho@rioeduca.net
Twitter: @tatarcrj

terça-feira, 2 de abril de 2013

DIA INTERNACIONAL DO LIVRO INFANTIL


     O dia 2 de abril foi escolhido em homenagem ao nascimento de Hans Christian Andersen, em 1805. O escritor dinamarquês é considerado o primeiro autor a romancear as fábulas voltadas especialmente para crianças. Assim como as histórias antigas, Andersen também se preocupava com a transmissão de moral e valores, ressaltando a disputa entre poderosos e figuras mais fracas. Calcula-se que o dinamarquês tenha escrito mais de 150 histórias, entre elas O Patinho Feio, A Pequena Sereia, A Roupa Nova do Rei e A Polegarzinha.
      No Brasil, grandes nomes como Monteiro Lobato, Ana Maria Machado, Lygia Bojunga, Ruth Rocha, Ziraldo e Bartolomeu Campos de Queirós são responsáveis, ao lado de tantos outros, pelo gosto de muitas crianças pelo mundo dos livros. Por aqui, contudo, celebramos em 18 de abril o Dia Nacional do Livro Infantil. A data lembra o nascimento de Monteiro Lobato, o pai do gênero no País. Além de suas obras, o autor também traduziu e adaptou clássicos mundiais como Alice no País das Maravilhas e Robin Hood.
     As escolas também têm um papel importante nessa jornada. É lá que os pequenos têm o primeiro contato com muitos livros e histórias, ampliando as percepções e impressões de mundo. Contudo, Edna Bueno, especializada em Literatura Infantil e Juvenil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), enxerga falhas na atuação dos colégios. "Considero que um bom trabalho com a literatura é oferecer um cardápio variado de livros para que a criança faça sua escolha. É preciso experimentar e sentir-se livre."
 
Continue lendo aqui.

DIA MUNDIAL DO AUTISMO

  A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) como Dia Mundial da Conscientização do Autismo em 18 de dezembro de 2007 e, desde então, diversas campanhas “azuis” são feitas pela causa.

O autismo é mais comum do que se pensa: atinge 70 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde. No Brasil, a estimativa é de mais de 2 milhões de autistas, de acordo com a ONU. Por isso a importância de avançar na formação de profissionais de saúde para atuar nesta área, já que no Brasil as ações em torno do tema ainda são pontuais e individualizadas.


     O Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira, Dia Mundial de Conscientização do Autismo, a Diretriz de Atenção à Reabilitação da Pessoa com Transtornos do Espectro do Autismo (TEA). A diretriz trará pela primeira vez uma tabela com indicadores do desenvolvimento infantil e sinais de alerta para que médicos do Sistema Único de Saúde possam fazer uma identificação precoce do autismo em crianças de até três anos. 
      Tratamento - Após o diagnóstico do paciente e a comunicação à família, inicia-se a fase do tratamento e da habilitação/reabilitação nos pontos de atenção da Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência. O autismo implica em alterações de linguagem e de sociabilidade que afetam diretamente – com maior ou menor intensidade – grande parte dos casos. O paciente também pode sofrer limitação de suas capacidades funcionais e nas interações sociais, o que demanda cuidados específicos e singulares de acompanhamento médico, habilitação e reabilitação ao longo das diferentes fases da vida A integralidade do cuidado, a garantia da cidadania e a inclusão do tema na Rede de Atenção Psicossocial, com a construção de projetos terapêuticos individuais, são pontos que devem ser amplamente discutidos para garantir uma inserção social cada vez maior das pessoas com autismo.


domingo, 31 de março de 2013

PÁSCOA - TEMPO DE RENASCER


É ser capaz de mudar,
é partilhar a vida na esper
ança,
é lutar para vencer toda sorte de sofrimento.
É ajudar mais gente a ser gente,
é viver em constante libertação,
é crer na vida que vence a morte.
É dizer sim ao amor e à vida,
é investir na fraternidade,
é lutar por um mundo melhor,
é vivenciar a solidariedade.
É renascimento, é recomeço,
é uma nova chance para melhorarmos
as coisas que não gostamos em nós,
para sermos mais felizes
por conhecermos
a nós mesmos mais um pouquinho
e vermos que hoje,
somos melhores do que fomos ontem.
                                       Dores Lacombe
FELIZ PÁSCOA!!! 

É ser capaz de mudar,
é partilhar a vida na esperança,
é lutar para vencer toda sorte de sofrimento.
É ajudar mais gente a ser gente,
é viver em constante libertação,
é crer na vida que vence a morte.
É dizer sim ao amor e à vida,
é investir na fraternidade,
é lutar por um mundo melhor,
é vivenciar a solidariedade.
É renascimento, é recomeço,
é uma nova chance para melhorarmos
as coisas que não gostamos em nós,
para sermos mais felizes
por conhecermos
a nós mesmos mais um pouquinho
e vermos que hoje,
somos melhores do que fomos ontem. 
 
 FELIZ PÁSCOA!

quarta-feira, 27 de março de 2013

I SEMINÁRIO DE TUBERCULOSE DO IFF


Uma grande oportunidade de conhecimento para trabalhar com segurança.
A Classe Hospitalar esteve lá.


quinta-feira, 14 de março de 2013

PROFESSORA DA CLASSE HOSPITALAR DO IFF É PREMIADA NO CONCURSO DA FIOCRUZ

Professora da Classe Hospitalar do IFF é premiada no concurso de fotografia da Fiocruz

No final do ano passado, a Fundação convidou seus funcionários a participarem da terceira edição do concurso fotográfico, Olhares sobre a Fiocruz.
O tema proposto, Olhares sobre o Trabalho: Memória e Presente, obteve um resultado surpreendente. Dezenas de pessoas enviaram imagens que refletem as inúmeras atividades realizadas pelas equipes da instituição, dentro e fora dos campi, ora de forma poética, ora de forma lúdica - e, em alguns casos, contundente.
As fotografias revelam os desafios e a enorme diversidade do dia a dia de pessoas que trabalham na mediação entre saúde e tecnologia.

Entre os premiados, a professora da Classe Hospitalar do IFF, Karla Silva da Cunha Bastos, classificada em 3º lugar para categoria: Trabalhos no Presente - Construindo a Própria Imagem. A fotografia retrata a rotina da profissional no Instituto, uma iniciativa que permite, crianças e adolescentes continuarem sua formação escolar durante a internação.




“A minha intenção foi divulgar o trabalho da Classe Hospitalar para a Fundação, fiquei muito feliz e surpresa com a premiação. Foi realmente uma experiência indescritível, pois estava concorrendo com as demais unidades da Fiocruz”, ressaltou a professora.




A cerimônia de premiação, que aconteceu no dia 4/3, foi promovida pela Casa Oswaldo Cruz (COC), DIREH e a Presidência da Fiocruz.
Uma comissão de fotógrafos profissionais entre eles, a enfermeira do trabalho do Nust-IFF, Ângela Pires, elegeu as 14 melhores imagens, que foram usadas para o calendário institucional de 2013 da Fundação.

Parabéns pela iniciativa!


sexta-feira, 8 de março de 2013

DIA INTERNACIONAL DA MULHER


No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.
A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.
Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Objetivo da Data 
Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

Conquistas das Mulheres Brasileiras 
Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.

segunda-feira, 4 de março de 2013

CONCURSO FOTOGRÁFIO - OLHARES SOBRE A FIOCRUZ


      Professora da Classe Hospitalar do IFF, Karla Silva da Cunha Bastos, classificada em 3º lugar para categoria: Trabalhos no Presente - Construindo a Própria Imagem. A fotografia retrata a rotina da profissional no Instituto, uma iniciativa que permite, crianças e adolescentes continuarem sua formação escolar durante a internação.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

DIA DE SÃO VALENTIM

 
     O dia 14 de fevereiro é marcado por romance em países como França, Estados Unidos e Inglaterra. Isso porque é comemorado o Dia de São Valentim, o santo dos namorados.

Vale lembrar que no Brasil o Dia dos Namorados é comemorado 12 de junho, pois é véspera do Dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro. Mas na realidade, o marco começou como uma forma do comércio driblar a época parada que era o mês de junho.
São Valentim.

Apesar da tradicional troca de presentes, poucos conhecem a historia deste santo. Valentim era bispo em Roma, numa época em que os casamentos eram proibidos, pois o governo acreditava que se as pessoas não tivessem uma família, se alistariam no exército com mais facilidade.
Mesmo assim, o bispo foi contra a essa ideia e continuou realizando casamentos em segredo, mas quando o imperador Caldeus II descobriu, mandou prendê-lo. Já na prisão, os casais jogavam flores e bilhetes dedicados à Valentim para mostrar a fé no amor.
Certo dia, Valentim recebeu a visita da filha do carcereiro, Astérias, que era jovem e cega. Os dois se apaixonaram e o amor fez com que ela recuperasse sua visão.
No dia 14 de fevereiro de 286, ele foi levado para a chamada via Flaminia, onde foi morto a pauladas e depois decapitado. A sepultura de Valentim foi encontrada em 346, numa capela subterrânea na via Flaminia. Dez séculos depois, antigos registros o indicaram como irmão de São Zenão Hoje, as suas relíquias estão na Igreja de São Praxedes num Oratório dedicado a São Zenão e Valentim.

Ele se tornou santo porque morreu pelo testemunho de seu sacerdócio. A igreja o considera padroeiro dos namorados por ter defendido com sua vida o sacramento do casamento.

Franco Guizzetti para o site Terra

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

VILA ISABEL É A CAMPEÃ DO CARNAVAL 2013


A Escola de Samba Vila Isabel foi a última a desfilar no segundo dia de apresentações, é a grande campeã do Carnaval do Rio de Janeiro em 2013, com 299,7 pontos.

  O Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Vila Isabel foi fundado no dia 04 de abril de 1946, por Antonio Fernandes da Silveira, popularmente conhecido como "Seu" China.
A idéia de criar a Escola surgiu, no Domingo de carnaval, quando "Seu" China conversando com um grupo de amigos em um bar situado na Praça Sete teve a sua atenção despertada para o lado do Bloco Acadêmicos da Vila, que por ali passava, com os seus componentes fantasiados e isolados por uma corda, parecendo uma pequena Escola de Samba. Essa imagem despertou em “Seu” China o desejo de fundar uma Escola de Samba.
Os componentes vieram de blocos da região, como o Acadêmicos da Vila, o Dono Maria Tataia e o do Morro dos Macacos. A Unidos de Vila Isabel repetiu as cores da Escola de Samba Azul e Branco, da qual “Seu” China fizera parte. Os primeiros ensaios aconteceram no quintal de sua própria moradia na rua Senador Nabuco. Também foi ele o primeiro presidente da Escola. Dentre os fundadores figuravam: Antônio Fernandes da Silveira, Ailton Cleber, Antonio Rodrigues (Tuninho carpinteiro), Ari Barbosa, Cesso da Silva, Joaquim José Rodrigues (Quinzinho), Osmar Mariano, Paulo Gomes de Aquino (Paulo Brazão) e Servan Heitor de Carvalho.
Em seu primeiro desfile, no ano de 1947, a Escola desfilou com o enredo De Escrava à Rainha, tendo apenas cem componentes: 27 ritmistas, 13 baianas e mais 50 pessoas, sendo, algumas delas, da diretoria.
Em 1956, com o enredo Três Épocas, foi vice-campeã, subindo para o primeiro grupo. A Escola foi campeã pela primeira vez em 1960, no Grupo 3, com o samba Poeta dos Escravos, de Geraldo Babão.
Inicialmente, integravam o Grupo de Compositores Paulo Brazão, Tião Graúna, Severo Gomes de Aquino (irmão de Paulo Brazão, conhecido nas rodas de samba como Birica), Rosário, Zezé Fonfon, Simplício, Rodolfo de Souza e Djalma Fernandes da Silveira.
Acompanhando o crescimento da Escola, surgiu a Ala dos Compositores, integrada por Martinho da Vila, Ailton Rocha, Paulinho da Vila, Gemeu, Jonas Rodrigues, Jarbas Fernandes da Silveira, Ciro Baiano, Mariano Luz, Zé Branco, Irany (Olho Verde), Hilton Alfinito (Guadalupe), Aluisio Machado, Arroz e David da Vila.
Em 1967, com o enredo Carnaval de Ilusões, a Unidos de Vila Isabel introduziu a variação de cores nas fantasias, proporcionando um espetáculo visual de bom gosto, sem fugir das cores básicas da Agremiação.

Antonio Fernandes da Silveira "Seu" China, faleceu em 1976, com 76 anos de idade.
Três anos depois, 1979, a Vila Isabel seria campeã com o enredo Os Dourados Anos de Carlos Machado, no Grupo 1B. No ano seguinte, ficou em 2º lugar no grupo 1-A, com o enredo Sonho de um Sonho.
Mas, foi em 1983, que o então presidente Ailton Guimarães Jorge (Capitão Guimarães, um dos fundadores e, por diversas vezes presidente da LIESA- Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro-, idealizador das grandes transformações do carnaval carioca elevando o mesmo ao maior espetáculo da terra e também idealizador da Cidade do Samba), com o apoio dos diretores Hélio Mota, Wagner Tavares Araújo e Jorge Perlingeiro, iniciou um processo de reestruturação, culminando com o enredo Raízes, de 1987, contemplado com grande número de Estandartes de Ouro, fato que colocou a Vila Isabel na elite do Grupo especial, além de ter sido aclamada campeã moral.
Em 1988, a Unidos de Vila Isabel foi, pela primeira vez, campeã do Grupo Especial com o enredo Kizomba, Festa da Raça. Um desfile memorável e saudado até os dias de hoje.
Dezoito anos após o seu primeiro campeonato, no carnaval de 2006, na primeira gestão do presidente Wilson Vieira Alves, mais conhecido como Moisés, a Unidos de Vila Isabel conseguiu o seu segundo campeonato. O enredo "Soy Loco por ti, América": a vila canta a latinidade, do historiador Alex Varela e do carnavalesco Alexandre Louzada, foi um grande sucesso na Marquês de Sapucaí, contagiando a todos.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

CARNAVAL

 
O carnaval é uma festa que se originou na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C.. Através dessa festa os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção. Posteriormente, os gregos e romanos inseriram bebidas e práticas sexuais na festa, tornando-a intolerável aos olhos da Igreja. Com o passar do tempo, o carnaval passou a ser uma comemoração adotada pela Igreja Católica, o que ocorreu de fato em 590 d.C. Até então, o carnaval era uma festa condenada pela Igreja por suas realizações em canto e dança, que aos olhos cristãos eram atos pecaminosos.
A partir da adoção do carnaval por parte da Igreja, a festa passou a ser comemorada através de cultos oficiais, o que bania os “atos pecaminosos”. Tal modificação foi fortemente espantosa aos olhos do povo, já que fugia das reais origens da festa, como o festejo pela alegria e pelas conquistas.

Em 1545, durante o Concílio de Trento, o carnaval voltou a ser uma festa popular. Em aproximadamente 1723, o carnaval chegou ao Brasil sob influência europeia. Ocorria através de desfiles de pessoas fantasiadas e mascaradas. Somente no século XIX que os blocos carnavalescos surgiram com carros decorados e pessoas fantasiadas de forma semelhante à de hoje.

A festa foi grandemente adotada pela população brasileira, o que tornou o carnaval uma das maiores comemorações do país. As famosas marchinhas carnavalescas foram acrescentadas, assim a festa cresceu em quantidade de participantes e em qualidade.
 
Por Gabriela Cabral
Equipe Brasil Escola